Miss Alface em Paris

Como já tinha contado aqui no blog, passei 11 dias em Paris, a capital mundial da moda e da gastronomia. Confesso que fui mais pela moda, mas fui fisgada pela comida. Durante a viagem e no dia em que cheguei ao Brasil não contei pontos. Comi tudo o que queria e bebi vinho e champanhe várias vezes ao dia em quase todos os dias. Estava muito frio (peguei 7 graus negativos e neve em dois dias) e vinho esquenta que é uma beleza. Sem contar que vinho francês não dá ressaca (pelo menos os que eu bebi). Voltando à comida, levei um carregamento de barrinhas de cereais para carregar na mochila durante os passeios e voltei com quase todas. Era tanta coisa para olhar e curtir que o tempo passava rápido, o que rendia apenas café da manhã, almoço, chocolate quente da tarde e janta. O café do hotel era fantástico, com chocolate quente, croissant e Nutella, o sonho de qual gordinha. Lógico que existiam outras coisas e eu sempre comia salada de frutas, café com leite ou chocolate quente, pãozinho francês (muuuuuito diferente do brasileiro), manteiga, queijo, presunto e às vezes geleia de morango. Mas o mais legal era o chocolate, o croissant e a Nutella, não adianta negar.

Ah, não posso esquecer das pílulas da beleza, anti-idade, felicidade, ômega 3, bronzeado e vitamina C.

Só não tomava diariamente a do bronzeado porque já estava preta e da vitamina C porque era muito grande. Tentei partir, não consegui, resolvi engolir inteira e foi um sufoco ficar com aquele troço entalado na garganta. Mas garanti a beleza, a felicidade e a juventude, o que já estava de bom tamanho.

Os parisientes são magros. Vi pouquíssimas pessoas gordas. Homens, por exemplo, só vi gordos os turistas. Isso se explica por alguns motivos:

– Metade da população não tem carro, ou seja, usa metrô e caminha pra caramba. Eu mesma caminhei horrores.

– Não existe buffet nem rodízios. Os restaurantes oferecem entrada, prato, sobremesa e café e você escolhe qual vai querer.

– As porções não são muito grandes. Homens acostumados a buffet livre passariam fome ou gastariam muito por lá. Eu, que me acostumei a comer menos, nunca fiquei com fome e algumas vezes deixei comida no prato.

– Os baguetes que os franceses comem na rua, caminhando, apesar de serem grandes são leves. Há vários tipos de recheios e a maioria não tem maionese ou requeijão, mas sim um óleo que identifiquei como de oliva. Assim, à primeira vista os sanduíches parecem secos, mas o óleo garante o sabor e dá uma molhadinha. Detalhe: é “molhadinha”, nada de litros de óleo.

– Uma as melhores coisas de Paris são os laticínios. Iogurtes e queijos são tão gostosos que os franceses comem como sobremesa. Como são proteínas, trazem saciedade, ao contrário do doce, que faz a gente querer comer outro pouco tempo depois.

– Salada é comida de inverno também. Aqui no Brasil quando faz frio usamos a desculpa: “ah, está muito frio para comer salada”. Em Paris havia opções de salada em todos os restaurantes e inclusive no Mc Donalds, onde comi um Le Big Mac bem mais saboroso e menos pesado do que o brasileiro. Mesmo com temperatura negativa, eu e algumas colegas do grupo jantávamos salada ceasar, com iscas de frango e muita alface. E sobrava salada às vezes!

Voltando ao meio roteiro gastronômico, no almoço sempre escolhia o prato do dia e se comia entrada deixava a sobremesa para depois. Poucas vezes fiz o menu completo, mas era muita coisa (ainda bem que eu caminhava bastante). Como a Coca Light era mais cara que o vinho, eu tomava vinho. Existem umas comidinhas típicas meio gordurosas, como o croque madame e o croque monsier. O croque é uma fatia de pão grande com uma fatia de queijo por cima. O pão é fantástico e o queijo mais ainda. A diferença entre o madame e o monsier era o ovo que vinha em cima. Apesar do nome, o croque que trazia o ovo era o madame.

Uma das minhas entradas favoritas foi a sopa de cebola. Ela era marrom e vinha com um pão molhado e queijo gratinado por dia. De comer rezando! Meus amigos que cozinham bem já receberam o pedido para fazerem uma sopa assim pra mim. Já o melhor prato que comi foi um de Saint Jacques, um peixinho muito bom e macio, com molho de maracujá e purê de abobrinha. Viram como me comportei?

O setor sobremesas é algo à parte. Comi a milfolhas do Cafe de La Paix (onde estou na primeira foto) e ela era tão linda e grande que fotografei.

No Chartier, um típico restaurante francês, comi a melhor sobremesa de todas, o profiterole. Eu só conhecia a versão pequena, tipo coquetel, mas lá provei a original: grande, com sorvete de creme dentro e cobertura de chocolate. Não fotografei porque só me dei conta de registrar depois que ela não existia mais.

Os macarons são servidos junto com o café e estão há venda em confeitarias lindas como esta:

Tem também o éclair, uma espécie de bomba de chocolate. Comi uma comprada no supermercado e era maravilhosa.

Bom, vou parar de escrever porque as lembranças estão me deixando com água na boca.

Ah, quer saber qual foi o resultado da viagem na balança? Só 700 gramas a mais (praticamente uma festa de casamento bem aproveitada). Mais um dado para comprovar porque aquele povo chique é magro.

Au revoir!

 

Anúncios

6 pensamentos sobre “Miss Alface em Paris

  1. Cada prato mais delicioso que o outro!
    Realmente, só engordar 700g numa viagem como essa é algo a se comemorar…
    Leio o blog, faz tempo. Eu fiz vigilantes do peso, emagreci 20kg e passei por alguns problemas pessoais que me fizeram desistir do programa. Engordei 10kg de volta, protelei a minha volta ao VP e 6 meses depois, assumi que na verdade tinha medo de voltar… mas voltei, e em parte graças a sua história de sucesso. Fui surpreendida pelo novo programa, mas estou gostando.

    Rachel

    • Oi Rachel! Que bom que você voltou ao VP! Eu mesma já fui e voltei várias vezes, mas dessa vez coloquei na minha cabeça que vou virar vitalícia. Paris é um sonho, a gente vai embora com vontade de voltar, e as comidas são fantásticas. E o melhor, não engorda! Beijos, Raquel

  2. Oi Raquel !
    Adorei teu blog. Foi muito bom te reencontrar depois de tanto tempo, através do VP, e te achar em tantos meios de comunicação. Parabéns, pela viagem e pelo pouco ganho nesse período. É uma vitória. Tua meta esta bem próxima… Eu estava super bem ano passado, mas em decorrência de uns problemas pessoais, coloquei tudo (literalmente) a perder… Mas estou retomando e amanhã estou de volta as reuniões.
    Um beijão e sucesso !

    • Oi Luciana! Na semana passada “surgiu” mais meio quilo, que acho ser em decorrência da farra gastronômica em Paris. Mas tudo bem, o negócio e seguir em frente e retomar. A caminhada é longa, mas eu não tenho pressa mesmo! Beijo

  3. Paris em tópicos – O HOTEL DA BARBIE « Raquel Medeiros

  4. interessante mesmo sua viagem. alias na frança é costume andar de bicicleta, hábito este que no brasil ainda não é viavel em grande cidade sem correr certos riscos. mas com certeza ajuda a manter boa forma. é ainda temos muito que aprender com esse pessoal!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s