Firme e forte. E sem sofrer

Minha proposta é comer de tudo um pouco, diminuir os doces e as gorduras (fritura caiu fora), mas nada radical. No final de semana comi pudim e minha sogra queria que eu levasse para casa um potinho. Agradeci e disse que não levava demônios para dentro de casa. Levei salada de frutas, que é mais light e eu gosto também. Ontem almocei num buffet perto de casa e comi sagu com creminho de sobremesa. Hoje almocei no mesmo lugar e escolhi melancia e abacaxi. São pequenas trocas que não trazem sofrimento e são resultado. Amo Coca Zero, deve ter algo nela que vicia, mas também diminui. E sigo firme no tererê, que me distrai a tarde toda enquanto trabalho. Descobri até uma erva nova, com hortelã, que é um espetáculo.

Quanto aos exercícios, estou bem comportada, nem me reconheço. Pela manhã ou caminho 1h20 ou ando de bicicleta 50 minutos. Terças e quintas tenho uma hora de pilates e às vezes mato a caminhada ou a bicicleta (não sou de ferro, né!) nesses dias. Descobri a tal da endorfina e que ela chega logo depois do primeiro pico de cansaço. Sabe aquela hora que dá vontade de encerrar com o exercício? Pra mim é só esperar mais 10 minutos e vem a tal endorfina me deixar mais animada. Antes caminhava 50 minutos, mas nesse treino de resistir ao primeiro cansaço, cheguei a uma hora e vinte minutos. Tenho uma preguiça do cão em fazer faxina, mas daí penso que posso acabar com uns gordinhos e me dedico à limpeza da casa. Também faço todas as voltas, como comprar linha, ir no super, essas coisas, de bicicleta. 

E o peso? Está indo embora sem dar tchau. Na primeira semana só foram 400g, uma tristeza. Mas na segunda foram 800g e hoje me pesei com menos 600g. Um quilo e oitocentos gramas em 3 semanas. Seiscentos gramas por semana. Acho que tô indo bem. Pra ficar melhor só se o calor derretesse gordura também. 

Anúncios

#projetosaude

Acredito que devemos ser honestas com nossos propósitos. Este blog, por exemplo, é bem honesto, o que gera algumas polêmicas, como o assunto deste post. Chega dezembro, as pessoas se dão conta de que não entram nas roupas do verão passado, resolvem mudar os hábitos alimentares e se atiram na atividade física. Não há nada de errado com isso, muito pelo contrário, acho ótima essa mudança. Eu mesma estou aqui correndo atrás do prejuízo. A questão é que muitas dessas pessoas dizem que estão mudando os hábitos buscando saúde e enchem a sua timeline de fotos de pratos de salada e de espelhos de academia com a hashtag #projetosaude. Seria mais honesto se colocassem #projetolindanoverao #projetosarada #projetogostosanapraia. Levantam a bandeira da saúde porque é politicamente correto. Querer ficar magra para ficar mais bonita, gostosa e chamar a atenção não é visto com bons olhos, mas é o que no fundo todo mundo quer. Se realmente a saúde estivesse em primeiro lugar, esses “projetos” começariam em outra época do ano, e não quando todo mundo vai à praia. Sorry, mas faz dias que quero dizer isso.

Chegou a hora de adormecer a gordinha de novo

Meu marido diz que o maloqueiro (aqui no sul é uma forma de como se chama o cara galinha) que existe dentro dele não morreu, adormeceu. Comigo é a gordinha. Ela dormiu por um tempo, depois de muito esforço, mas ultimamente andava muito animada. Como diz minha enteada, depois das nossas férias de Porto de Galinhas, em fevereiro de 2013, tudo desandou. Tive muitas mudanças em 2013 e a principal foi a de cidade. Desde abril moro em São Sebastião do Caí, terra da bergamota, mas também da comida boa, barata e engordativa. Uma à la minuta de frango bem servida custa R$ 7,90 e tudo tem bastante gordura. Me adaptei bem rápido à cidade e ao cardápio rechonchudo. E isso me custou todo o peso que tinha perdido e mais um pouco. Quando entrei para o Vigilantes, em abril de 2011, pesava 73 quilos. Ontem me pesei na farmácia depois do almoço e com vontade de fazer xixi e marcou 75.800. E a tal balança ainda me deu este papelzinho impresso para eu ver que feia estava a situação. Um dia antes da pesagem já tinha começado a me comportar e agora o negócio é sério mesmo. Ou vou explodir.

peso0701

Dessa vez não vou fazer Vigilantes do Peso porque só tem reunião em Porto Alegre e nunca sei certo o dia que posso ir. Pensei em fazer o programa online do Dieta e Saúde, mas eles não responderam umas dúvidas e vi reclamações sobre dificuldade de cancelar o programa e de contato com o site. Mas descobri o Blog da Mimis, que emagreceu 33 quilos e tem dicas ótemas de como comer melhor e emagrecer. Sigo a página do blog no Facebook e a toda hora tem atualização. E só de ver aquela mulher bonita, magra e malhada, já me inspiro.

Com tudo que sei sobre substituições mais leves e com as dicas novas da Mimis, já mudei minha alimentação. Minha enteada está de férias aqui em casa e começou junto comigo. Estamos tentando colocar o marido junto, mas o gordinho é difícil de convencer. Vou tentar fazer dieta sozinha. Se não conseguir, consulto uma nutricionista.

Uma boa notícia é que desde de novembro faço Pilates, o estúdio é no meu prédio e o professor é lindo e fofo. Ou seja, não tem como matar aula, nem se estiver chovendo canivete porque é só abrir a porta do prédio e depois a do estúdio. O único problema é que um dos assuntos preferidos das aulas é comida… Mas as fofuras já estão indo para o lugar e minha postura está melhorando.

Uma das coisas boas da nova cidade é que moro no centro e posso fazer tudo de bicicleta ou a pé. Só uso carro nos finais de semana e quando preciso carregar muito peso. Melancia não cabe na cestinha da bike, né?! Nos últimos dias não estou conseguindo ir ao parque de bike porque faz muito CALOR, assim com letras maiúsculas. Às 8 da manhã o sol bomba e a temperatura já está em 27 graus. À tardinha segue o calor. Parece desculpa mas não é, o troço tá feio mesmo.

Hoje a academia do cunhado reabre com novidades e acho que vou fazer uma esteira. Mas o melhor mesmo é que vai ter aula de funk, mas não sei quando vai começar. Vou sondar também a aula de zumba que tem em outra academia. Porque puxar ferro não é comigo. Puxo só meu próprio peso no Pilates e já está bom assim.

Enfim, estou focada no emagrecimento e isso é o mais importante.

Ps.: Enquanto escrevi este post tomei um copo de limonada com adoçante.

Dieta de fome

Minha enteada, a Nathália, tem 13 anos e está fazendo dieta com uma nutricionista. Ela está passando as férias lá em casa e ontem encontrei o cardápio na porta da geladeira. Fiquei morrendo de pena da menina. A dieta dela é muito light para uma adolescente e que está em início de sobrepeso, ou seja, não é gorda, é fofinha grau 1 no máximo. Tudo bem que foi feita por uma nutricionista e eu sou leiga no assunto, mas achei muito fraquinha e sem nada de bom para comer (como viver sem um Creamy Light, sem uma Trakinas Mini?). O lanche da tarde tem duas edições: uma com uma banana e uma fatia de mamão (nada da liberdade dos ProPontos) e a outra com um pacotinho de Club Social. Eu troquei o Club Social por uma bolachinha similar da Nestlé que é integral e tem menos gordura, mas não como muito porque não me sacia. Se não sacia uma mulher de 38 anos, imagina uma menina de 13 com o metabolismo a mil. O único açúcar da dieta é uma colher de sobremesa de mel no café da manhã. O resultado desse menu de spa é que a Nathália outro dia foi ao Zaffari comprar Nutella, que ela devorou quase toda no mesmo dia, mas deixando as bordas do pote preenchidas para fazer de conta que não comeu (sou gordinha e conheço todas as táticas!). Eu não compro nem Nutella e nem doce de leite porque não levo o demônio para dentro de casa, ainda mais se o bicho se come de colher. Nutella só em Paris e doce de leite só em mini saquinhos.

Sabe qual vai ser o resultado da dieta da enteada? Nathália vai emagrecer (se parar de comer Nutella), chegar ao peso e largar a dieta, engordando tudo de novo. Se ela morasse lá em casa, e não em Horizontinha, levava comigo nas reuniões do Vigilantes. Comeríamos Trakinhas Mini juntas. E nada de Nutella, o demônio marrom.

Saudades do McDonalds

Faz 7 meses que não como nada do McDonalds. Prometi que nunca mais comeria, mas estou com muitas saudades do Ronald e sua turma. Com essa história de novo cardápio, saladinha, menos sódio e menos açúcar, resolvi procurar a tabela de valores nutricionais no site do Mc e fiz os cálculos de pontos. Calculei só o que me interessava:

Big Mac, seu lindo: 11 pontos (o problema são as 26g de gordura)

Chicken Classic Grill (a opção de sanduíche maiorzinha com menos pontos): 7 pontos

Cheeseburguer: 6 pontos

Hamburguer: 5 pontos

Premium Salad: 2 pontos. Para quem achava que as saladas do Mc eram ponto zero, essa é a menos pontuada.

Depois dessas contas, resolvi baixar a guarda e ir ao McDonalds comer um Chicken Classic Grill com Premium Salad. Me aguarda, Ronald, que estou chegando!

Rehab alimentar

Você pensou uma, duas, 3 vezes, mas não resistiu: usou a tal substância. Ela logo desencadeou em sua cabeça um processo viciante: ao tocar sua língua, fez liberar em seu cérebro opioides — químicos responsáveis por uma sensação de recompensa e prazer, também acionados por drogas como heroína e morfina. Inconscientemente, você move sua língua e mandíbula. Se fosse uma criança, abriria um sorriso. A resposta imediata do seu corpo: quero mais!

Recebi hoje uma dica de leitura muito interessante da Aline, que faz VP e lê o blog: uma matéria chamada Cabeça de Gordo, publicada na revista Galileu e que inicia com o trecho acima. Ela fala sobre como podemos ajudar nosso cérebro a não entrar no círculo vicioso de comer só por prazer. Agora mesmo escolhi como sobremesa uma trufa zero açúcar da Cacau Show. Tem 2 pontos como a trufa normal, mas como não tem açúcar não gera a vontade de comer mais. Sacou? Uma das coisas tratadas na matéria é sobre “não fazer dieta”. Já comentei aqui no blog que não digo que estou dieta, mas sim em processo de emagrecimento. Dieta lembra restrições e transitoriedade, enquanto que processo de emagrecimento é reeducação alimentar, mais demorada e que tem tudo para se tornar permanente. E se formos pensar, o rehab, seja por drogas ou alimentar, também é assim. A pessoa entra quando está em crise, no auge da fissura, e toma providências para o estado não evoluir. O objetivo final é não depender mais de drogas e nem de comidas com muito açúcar e gordura.

Veja as dicas para o rehab alimentar:

A matéria é muito boa e vale a pena ler a íntegra. Os links estão abaixo:

Página 1: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI260314-17773,00-CABECA+DE+MAGRO.html

Página 2: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI260314-17773-1,00-CABECA+DE+MAGRO.html