Gordas?

Meninas que trabalham na redação da revista Glamour querem emagrecer até o verão. Até aí tudo bem. O problema é que elas não tem o que emagrecer, principalmente a que esta no meio da foto, que, pelo que está escrito na matéria, quer sumir do mapa. Literalmente. Porque uma pessoa querer vestir 34/36 não sendo modelo é loucura ou anorexia.

A da direita quer tirar a pochete e diminuir os braços. Só tenho uma coisa para dizer: teu braço é fino, baby. Já o meu, nem quando cheguei a quase menos 13 quilos ele deu sinais de que queria ser magro. Fique feliz que ele é normal e sempre tire fotos com ele longe do corpo. Pronto. Agora é só relaxar.

Já a menina da esquerda quer perder 12 quilos e ficar com míseros 47. A impressão que tenho é de que a cada dia mais as mulheres querem ficar com peso de meninas de 12 anos.

O link do Projeto Verão Glamour está aqui para quem quer saber mais do desserviço que uma revista de moda pode fazer para um mulherio desesperado para secar e colocar um biquíni.

Rehab alimentar

Você pensou uma, duas, 3 vezes, mas não resistiu: usou a tal substância. Ela logo desencadeou em sua cabeça um processo viciante: ao tocar sua língua, fez liberar em seu cérebro opioides — químicos responsáveis por uma sensação de recompensa e prazer, também acionados por drogas como heroína e morfina. Inconscientemente, você move sua língua e mandíbula. Se fosse uma criança, abriria um sorriso. A resposta imediata do seu corpo: quero mais!

Recebi hoje uma dica de leitura muito interessante da Aline, que faz VP e lê o blog: uma matéria chamada Cabeça de Gordo, publicada na revista Galileu e que inicia com o trecho acima. Ela fala sobre como podemos ajudar nosso cérebro a não entrar no círculo vicioso de comer só por prazer. Agora mesmo escolhi como sobremesa uma trufa zero açúcar da Cacau Show. Tem 2 pontos como a trufa normal, mas como não tem açúcar não gera a vontade de comer mais. Sacou? Uma das coisas tratadas na matéria é sobre “não fazer dieta”. Já comentei aqui no blog que não digo que estou dieta, mas sim em processo de emagrecimento. Dieta lembra restrições e transitoriedade, enquanto que processo de emagrecimento é reeducação alimentar, mais demorada e que tem tudo para se tornar permanente. E se formos pensar, o rehab, seja por drogas ou alimentar, também é assim. A pessoa entra quando está em crise, no auge da fissura, e toma providências para o estado não evoluir. O objetivo final é não depender mais de drogas e nem de comidas com muito açúcar e gordura.

Veja as dicas para o rehab alimentar:

A matéria é muito boa e vale a pena ler a íntegra. Os links estão abaixo:

Página 1: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI260314-17773,00-CABECA+DE+MAGRO.html

Página 2: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI260314-17773-1,00-CABECA+DE+MAGRO.html

Propaganda enganosa

Já falei que não acredito em milagres e acho anti-ético as revistas publicarem dietas loucas, como está na capa da Viva.

Olhem o que diz no quadradinho amarelo.

O texto e as fotos levam qualquer pessoa ignorante a comprar a revista para saber como “desinchar” 22 quilos comendo maçã. Primeiro, ninguém desincha 22 quilos. Segundo, e mesmo se desinchasse, não seria tomando chá de maçã. Mas o pior está por vir. Leia a matéria:

Esqueceram que colocar na capa que Patrícia emagreceu 22 quilos tomando moderador de apetite. Que feio omitir uma informação tão importante, Editora Abril.

Comidas que emagrecem

Recebi por e-mail do meu colega de VP Daniel uma matéria que saiu na Istoé sobre os alimentos que dão mais saciedade. A matéria é muito interessante, mas também muito longa para publicar aqui. Então coloquei abaixo os quadros com os resumos e clicando aqui você lê a matéria na íntegra. Ah, fiquei muito feliz em saber que a história de que a maçã dá mais fome é lenda e de que uva é termogênica.

100 quilos de felicidade. Oi?

Não acredito em gorda feliz, principalmente aquelas que dizem que são felizes. Rico que é rico mesmo não fica contando vantagem para os outros. Quem é feliz não fica falando o tempo todo que é feliz. Por isso é que não acredito em alguém que se auto-elogia 25 vezes em duas páginas.

(clique na imagem para ampliar)

Matéria publicada na edição de abril da revista Nova.